Casa da Música cheia na grande festa dos 30 anos da Quinta do Bill

Foi com a Casa da Música repleta de fãs e amigos que a Quinta do Bill assinalou no passado dia 25 de novembro, no Porto, os seus 30 anos de carreira com um concerto muito especial, que contou com a participação de quatro coros juvenis da área metropolitana do Porto. Com um alinhamento que percorreu praticamente toda a discografia do grupo, canções antigas e mais recentes foram quase sempre energicamente cantadas a meias com a plateia.

Intitulado 30 anos de Canções e Afetos, o espectáculo foi uma oportunidade única para recordar o notável percurso da banda. Depois de uma intensa tour de celebração de três décadas de actividade, que percorreu o país um pouco por todo lado, a nobre sala Suggia foi o palco escolhido para marcar este ano tão especial para a Quinta do Bill.

O concerto não podia ter começado de forma mais vibrante. “Amanhecer, amanhecer”, “Rir”, “Donas de Bem” e “Senhora do Olival” foram os temas que abriram a noite e colocaram desde cedo o público a saltar, de braços bem erguidos, surpreendendo até os funcionários da Casa da Música, que rapidamente desistiram da ideia de travar a euforia dos fãs. “Voa” foi canção marcante na primeira parte do concerto, que teve pelo meio um momento mais acústico.

“Reunir aos meus amigos” foi a canção que deu início a este lado intimista do espectáculo, e que fez soltar pela primeira vez as vozes das 80 crianças e jovens que compõem os coros juvenis Clavezinhas de Sol, ÍrisCorus, Arco Íris e Coro São João da Foz, surpreendendo as quase mil pessoas presentes. A meio do acústisco, Moisés fez questão agradecer a todos aqueles que têm acompanhado a banda ao longo destas décadas: “Já não temos fãs. Agora, temos amigos!”, disse, arrancando do público muitos gritos e uma enorme salva de palmas.

De regresso ao registo eléctrico, outro dos momentos mágicos da noite foi a interpretação de “Menino”, que colocou novamente aqueles jovens talentos no centro das atenções, enchendo a sala quando cataram “Quando eu era pequenino / Acabado de nascer / Ainda mal abria os olhos / Já eram para te ver”. Novo momento apoteótico na sala Suggia.

Para o final, já a meio do encore, todos esqueceram que ali existiam cadeiras e saltaram para cantar a intemporal “Filhos da Nação”. A festa terminou com uma enorme ovação de pé, num misto de lágrimas e sorrisos felizes, lembrando que a Quinta do Bill é uma enorme família, que se estende entre o palco e a plateia. Venham mais 30!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *