Festival Bons Sons: A aldeia encheu-se para brindar com os Virgem Suta

A noite não podia ter sido mais calorosa. Se desde cedo os termómetros já marcavam em Cem Soldos, bonita aldeia do concelho de Tomar, temperaturas além do suportável para muita gente (acima dos 40 graus centígrados), depois do concerto que os Virgem Suta protagonizaram no palco Lopes-Graça (na Praça do Rossio) o ambiente não ficou menos fervoroso. Jorge Benvinda, Nuno Figueiredo e companhia foram aliás os grandes cicerones da primeira noite do festival Bons Sons, que ficou unanimemente marcada pelo concerto da banda de Beja.

A atuação do grupo foi tudo menos de sentido único. Com o humor apurado e certeiro que lhes é característico, os Virgem Suta desde cedo agarraram a plateia, percorrendo um reportório recheado de hits. Quanto mais a banda oferecia, mais participativo se tornava o público. E a plateia, com as letras na ponta da língua, cantou e dançou durante todo o concerto. “Se amanhã estiverem ressacados, comecem logo a beber ao início do dia”, recomendava Benvinda, arrancando gargalhadas do público, antes de Ressaca. Em Dança de Balcão, todos se juntaram para o tradicional brinde com vinho tinto.

Houve tempo ainda para a habitual homenagem a Carlos Paião através de Playback, canção-hino cantada a meias com o público. Para o fim, os mais corajosos responderam ao convite da banda e subiram ao palco para ajudar a fazer a festa. A despedida foi então feita com o palco a abarrotar de gente.

A atuação mostrou que os Virgem Suta não são banda que se preocupe com artificialismos modernos. Agarram-se à tradição, à portugalidade, e oferecem-nos orelhudas canções, irresistíveis de serem cantaroladas.

Veja aqui um pouco do concerto dos Virgem Suta no festival Bons Sons

 

Tagged ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *